Entre em contato conosco

Champions

Como dois jogos da Champions League ajudaram a disseminar o novo coronavírus na Europa.

Published

em

Liverpool x Atlético de Madrid pela champions

Em meio ao início da pandemia do novo coronavírus, diversos jogos pelo mundo estavam lotados, alguns deles ajudaram a transmitir o vírus.

Compartilhe esta publicação

Que a pandemia do novo coronavírus mudou a rotina no mundo todo, isso todos sabemos. Ficamos impedidos de frequentar locais com grande aglomeração de pessoas, pois estes eram vistos como ambientes propícios para a proliferação do vírus. Diante desses fatos, a UEFA Champions League –  assim como a maioria dos campeonatos mundo afora –  foi suspensa por tempo indeterminado no mês de março, porém já era tarde demais. A saber, dois jogos em especial da competição continental tiveram papel importante na disseminação da Covid-19 no velho continente. A eles:

 

Atalanta (ITA) X Valencia (ESP).

 

A partida  em Milão no dia 19 de fevereiro foi chamada de “bomba biológica”, pelo grande número de infectados no país após o jogo. Apesar da Atalanta ser uma equipe da cidade de Bérgamo, o estádio não atendia a todos os requisitos para receber o evento. Isso fez com que diversos adeptos migrassem para o Estádio San Siro, para acompanhar a histórica partida. Vale lembrar que esta é a primeira vez que a Atalanta disputa o torneio. O jogo terminou com o placar de 4×1 para os mandantes.

Atalanta - Valencia pela Champions League

O Gráfico mostra a evolução de casos em Bérgamo e Milão após a realização da partida.

Dias após a partida, os casos do novo coronavírus subiram de maneira absurda, em especial na região da Lombardia, onde estão as cidades de Milão e Bérgamo. A segunda chegou a se tornar o epicentro da doença no mundo. Novos casos também surgiram na Espanha, pois adeptos do Valencia também estiveram no país da velha bota para acompanhar a partida. Jornais espanhóis também lembraram que 35% do plantel do Valencia testou positivo para o Coronavírus, além de jornalistas presentes no jogo.

As causas para esta explosão de casos são perceptíveis hoje:  à época, as máscaras não eram objetos ainda usados por todos; além disso, diversos pacientes que não tinham sintomas da Covid-19 (mas poderiam estar contaminados), estavam no estádio em meio à euforia, gritos e abraços. E ainda por cima, a festa pelo excelente resultado também levou torcedores da Atalanta para as ruas de Bérgamo. Em suma: praticamente todas as condições para a disseminação do vírus conseguiram estar presentes em um único evento!

 

Liverpool (ING) X Atlético de Madrid (ESP).

 

A partida realizada no dia 11 de março era o segundo jogo da fase de oitavas de final da competição, e terminou com vitória do Atlético de Madrid por 3×2 – e consequentemente a classificação dos espanhóis, que já haviam triunfado por 1×0 em Madrid. A partida contou com 52 mil espectadores sendo 3.000 adeptos do Atléti, e neste jogo já havia uma grande apreensão, pois Espanha e Reino Unido já contabilizavam 640.000 e 100.000 casos respectivamente.

Um estudo realizado pela “Edge Health” mostrava que havia 100% de chances de haver ao menos um infectado pela doença em um evento com 10.000 pessoas. Além disso, o grupo usou dados do sistema público de saúde do Reino Unido e atestou que a partida causou 41 mortes. Vale lembrar que as 41 vítimas não necessariamente estariam em Anfield no dia. A ideia é que possíveis pacientes que não apresentavam sintomas tenham passado de forma involuntária o vírus para outros adeptos, que podem também ter o transmitido para cidadãos que vieram a óbito.

 

Desfecho.

Enfim, na manhã do dia 13 de março a UEFA decidiu suspender por tempo indeterminado a competição, deixando assim as partidas das oitavas de finais pendentes. A Champions League voltará em agosto com o cumprimento dos jogos da fase acima citada. Mas após esses jogos, o regulamento seguirá de forma diferente: os duelos serão realizados em jogo único, com Lisboa como sede fixa da competição. A UEFA Europa League seguirá o mesmo padrão, com sede na Alemanha, enquanto a Champions League de futebol feminino terá sede na Espanha.

Compartilhe esta publicação