Entre em contato conosco

Copa do Brasil

Inter joga no lixo o ano de 2020

Published

em

 Sete eliminações desde 2017.  Conseguem entender o tamanho da vergonha?

Compartilhe esta publicação

Seguindo uma semana conturbada, digo, quase duas semanas conturbadas para o Internacional desde a demissão de Eduardo Coudet, tal qual era o real responsável por alguma vergonha na cara, intensidade e ação de o time para com o treinador, grupo e torcida. Independente de teimosia, falha individual, as falhas do time de Chacho eram as falhas individuais. Vexame atrás de vexame, o plano de corpo técnico desmanchado, alterado em menos de um mês, pura politicagem, ego e mau-caratismo.

Isso é MIG, isso é confraria, aquela mesma em que o todo poderoso “Deus” colorado com toda a autonomia para mandar e desmandar. Acha-se no direito de dizer o que bem entende e seus portas-vozes da imprensa, fora outros portais ditos e “influencers” colorados, os quais ganham migalhas de uma gestão perdedora, com a missão  de ativar agenda positiva dos cartolas e torrar qualquer pessoa que faça esboço de confronta-la. Eles querem enlouquecer o torcedor. Zero dúvidas disso.

Inter fingindo que joga e o torcedor fingindo ter paciência. Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Depois de uma derrota estupida para o sub-18 do Santos, após a derrota para o América-MG na partida de ida. Como já é de praxe, para carimbar mais um fracasso de Marcelo Medeiros,  o surfistinha, no mandatário alvirrubro, nas penalidades América-MG de Lisca chuta o colorado pra fora da Copa do Brasil.

Abel pode ser considerado culpado? DEVE! E não me venha dizer, caro torcedor, passador de pano do c******, que houve pouco tempo para treinar. Não venha dizer sobre as modificações serem necessárias, era só deixar o trabalho já feito pelo antecessor e ajustar a defesa.

Modificou todo um trabalho já “conceituado” para retrancar-se, para formatar ao 4-4-2, função tática já ultrapassada, velha, antiga. O futebol mudou e Abel ficou em  2012. Tanto ficou que 2013 rebaixou o Fluminense e o tricolor das laranjeiras permaneceu após uma puxada de tapete. Sport Club Internacional e o pensamento mágico, retrocesso, autoritarismo.

   MEDEIROS, O GESTOR FRACASSADO

 

o pior presidente do Inter pós-Piffero. Foto: Tomás Hammes/Globo Esporte

Leão com o torcedor, filhote de gato com os rivais, CBF e cadelinha de Romildo Bolzan Jr em grenal. O surfista disfarçado de presidente, sem dúvida alguma está entre os piores dirigentes colorados, cidadão só não está em primeiro lugar por este lugar ser da SWAT COLORADA, composta por Fernando Carvalho, Vitório Piffero e seus capangas de 2016.

Marcelo Medeiros é a soberba, autoritarismo, grita com torcedor, manda viatura e cavalaria pisar em cima de quem tira de onde não tem para  ajudar o clube. Promessas não cumpridas em campanhas de eleição. Compra portais e pseudos-jornalistas querendo panos quentes. Demite funcionário do clube com anos de casa, arrota soberba, xenofobia e covardia.

Pobre de seu falecido pai, revira-se no túmulo de vergonha toda vez que te escuta falar em coletivas diárias, pré e pós-jogo deverias ter escutado sua mãe não ter aceito ser presidente do Inter, surfista. Tu és um fracasso. Qual será o próximo? Verdade, contra o Boca. E o Brasileiro é melhor esquecer. Adeus 2020! CHEGA DE MIG, CHEGA DE CARVALHISMO, CHEGA! 

Compartilhe esta publicação
Continuar Lendo
Clique para Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *